sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Trump pede investigação sobre vazamento de informações de seu governo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira que pediu ao Departamento de Justiça que investigue os vazamentos "criminosos" de informações sobre seu governo que se multiplicaram nas primeiras semanas após sua posse.

"Pedi ao Departamento de Justiça que examine os vazamentos. São vazamentos criminosos", disse Trump em uma longa entrevista coletiva na Casa Branca.

O presidente americano garantiu que as informações sobre os contatos entre o pessoal de sua campanha e o governo russo são "notícias falsas", mas que os vazamentos, sim, são sim "reais", e insinuou que são produzidos por membros do governo do ex-presidente Barack Obama.

Alguns funcionários da administração anterior seguem trabalhando nas agências federais enquanto esperam por seus substitutos nomeados por Trump, que estão demorando para "serem aprovados pelo Senado", denunciou.

O vazamento do conteúdo das ligações com a Rússia do principal assessor de segurança nacional de Trump, Michael Flynn, publicadas na semana passada pelo jornal "The Washington Post", provocaram na última segunda-feira a renúncia desse funcionário, que havia mentido sobre o tema a vários altos cargos da Casa Branca.

Esse é só um dos muitos detalhes sobre os atritos dentro do governo de Trump que tiveram destaque na imprensa americana, aparentemente graças a atuação de funcionários, algo que irritou profundamente o presidente.

Trump citou como exemplo a conversa que teve por telefone no final de janeiro com o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, na qual, segundo vários veículos de imprensa americanos, ameaçou enviar tropas ao México para combater os "homens maus" no país vizinho.

Embora o governo mexicano tenha negado tal ameaça por parte de Trump, o presidente americano nunca chegou a desmenti-la, e hoje disse que não se importou com a revelação do conteúdo de sua conversa com Peña Nieto.

"Não era uma ligação tão importante, não aconteceu nada, eu podia mostrá-la ao mundo e o presidente (Peña Nieto), que é um homem muito bom, podia mostrá-la ao mundo", argumentou.

O que preocupa Trump é o vazamento de informação sobre sua estratégia em relação a "problemas na Coreia do Norte" e no Oriente Médio.

AGENCIA EFE

0 comentários:

Postar um comentário