quarta-feira, 29 de março de 2017

Prefeito Padre Walmir será investigado pelo Ministério Público

O Ministério Público do Estado do Piauí vai abrir procedimento para investigar contrato de aluguel de um imóvel destinado ao funcionamento da Unidade Escolar Municipal CelesteMartins de Deus realizado pelo prefeito de Picos, Padre Walmir de Lima, sem licitação, apósreportagem publicada no GP1.

Na manhã desta terça­feira (28), a promotora de Justiça Micheline Serejo afirmou ao GP1 que“será instaurada Notícia de Fato para averiguação de possível irregularidade”.

Segundo a reportagem do jornalista José Maria Barros, o valor mensal do aluguel é R$11.512,00, mas como o contrato é válido por doze mensais, o total fica em R$ 138.144,00. Ocontrato foi assinado no dia 6 de janeiro de 2017 entre o locador, médico Fabiano Neiva Eulálioe a Secretaria Municipal de Educação, que é comandada por Maria Rosilene Monteiro Luz.Para cumprir o acordado o município utilizará como fonte de recursos FPM, IPVA, ICMS,arrecadação, outras receitas próprias, QSE e Fundef.

Apesar de o contrato ter sido assinado no dia 6 de janeiro deste ano, uma cópia do contratosomente foi publicada no Diário Oficial dos Municípios mais de dois meses depois, ou seja, em 2
de março.

O imóvel fica situado no cruzamento das ruas João XXIII e Monsenhor Hipólito, em frente aoEstádio Municipal Helvídio Nunes de Barros. Além desse a Prefeitura de Picos, através daSecretaria Municipal de Educação, alugou outros seis imóveis sem licitação totalizando um gastomensal de R$ 7.580,00. Incluindo o primeiro, a despesa sobe para R$ 19.392,00 por mês.

gp1

0 comentários:

Postar um comentário