quarta-feira, 29 de março de 2017

Veja que políticos do Piauí foram citados na delação da odebrecht

Os depoimentos prestados por funcionários e ex-funcionários da Odebrecht em 77 acordos de delação premiada foram homologados pela presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia, após a morte do ministro relator Teori Zavascki em jan.2017. As declarações agora poderão ser usadas em inquéritos e ações penais. Veja quais políticos do Piauí já foram implicados nas delações.

CIRO NOGUEIRA (PP-PI)
Senador
Apelido: Cerrado, Piqui
Situação judicial na Lava Jato: 

Alvo de inquérito
Foi 10 vezes citado na delação

É citado por:
Claudio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht

O que fez, segundo a delação:
Pediu apoio financeiro e recebeu R$ 1,6 mi nas campanhas de 2010 e 2014

O que fez para a Odebrecht, segundo a delação:
Agendou audiências com autoridades para tratar de assuntos da Odebrecht e apoiou interesses da empresa na discussão da Medida Provisória 656/2014
Ano: 2010

Quanto a Odebrecht diz que pagou (em R$):
1,6 mi

Como a empresa diz que pagou:
Caixa dois

Outro lado:
O senador, pela assessoria, divulgou nota do Partido Progressista: "As doações recebidas pelo Partido Progressista foram legais e sempre devidamente declaradas à Justiça Eleitoral"

HERÁCLITO FORTES (PSB-PI)
Deputado federal
Apelido: Boca mole
Situação judicial na Lava Jato: 

Citado em delação
Foi 8 vezes citado na delação

É citado por:
Claudio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht

O que fez, segundo a delação:
Recebeu R$ 200 mil na campanha de 2010 via caixa dois. Pediu apoio financeiro na campanha de 2014 e recebeu R$ 50 mil em doação

O que fez para a Odebrecht, segundo a delação:
Fez análises políticas para a empresa e ajudou a resolver situação de funcionário morto no Iraque
Ano: 2010 e 2014

Quanto a Odebrecht diz que pagou (em R$):
250 mil

Como a empresa diz que pagou:
Doação eleitoral registrada no TSE
Caixa dois

Outro lado:
Diz que doações foram pagas legalmente e registradas na Justiça Eleitoral

HUGO NAPOLEÃO (PSD-PI)
Ex-governador, ex-deputado e ex-senador pelo Piauí
Apelido: Diplomata
Situação judicial na Lava Jato: 

Citado em delação
Foi 2 vezes citado na delação

É citado por:
Claudio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht

O que fez, segundo a delação:
Recebeu R$ 100 mil na campanha de 2010 por meio de caixa dois. Pediu apoio financeiro na campanha de 2014 e recebeu R$ 100 mil em doação

O que fez para a Odebrecht, segundo a delação:
Não é indicado
Ano: 2010 e 2014

Quanto a Odebrecht diz que pagou (em R$):
200 mil

Como a empresa diz que pagou:
Doação eleitoral registrada no TSE
Caixa dois

IRACEMA PORTELLA (PP-PI)
Ex-deputada federal
Situação judicial na Lava Jato: 

Citado em delação
Foi uma vez citado na delação

É citado por:
Claudio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht

O que fez, segundo a delação:
Recebeu R$ 500 mil na campanha de 2014

O que fez para a Odebrecht, segundo a delação:
Não é indicado
Ano: 2014

Quanto a Odebrecht diz que pagou (em R$):
500 mil

Como a empresa diz que pagou:
Doação eleitoral registrada no TSE

Outro lado:
Afirma que todas as doações recebidas foram declaradas em prestações de contas devidamente entregues à Justiça Eleitoral

PAES LANDIM (PTB-PI)
Deputado federal
Apelido: Decrépito
Situação judicial na Lava Jato: 

Citado em delação
Foi 4 vezes citado na delação

É citado por:
Claudio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht

O que fez, segundo a delação:
Recebeu R$ 100 mil na campanha de 2010 via caixa dois. Em 2014, recebeu R$ 80 mil em doação

O que fez para a Odebrecht, segundo a delação:
Elogiou a empresa em discursos no plenário
Ano: 2010 e 2014

Quanto a Odebrecht diz que pagou (em R$):
180 mil

Como a empresa diz que pagou:
Doação eleitoral registrada no TSE
Caixa dois

Outro lado:
Afirma que as doações recebidas foram contabilizadas, registradas e transparentemente declaradas à Justiça Eleitoral. Diz que jamais recebeu recurso via caixa dois e jamais agiu na defesa dos interesses da Odebrecht ou de qualquer outra empresa

Folha de São Paulo

0 comentários:

Postar um comentário