quarta-feira, 5 de abril de 2017

Jair Bolsonaro declara que reforma da previdência é um crime

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) participou, na noite desta quarta-feira (05), de um evento no Atlantic City, na zona leste de Teresina. O parlamentar está no Piauí para participar de encontros na Capital e em Parnaíba. Durante o discurso, Jair Bolsonaro criticou a reforma da previdência: “É uma falta de humanidade, querer uma contribuição de 49

anos, isso é um crime com os mais humildes, que estão sim concentrados na região Nordeste, que tem a menor expectativa de vida entre as cinco regiões do país, é uma maldade com o povo nordestino”, disse. Para o deputado a reforma não será aprovada: “O Governo pode até reformar a sua previdência, mas dessa forma não, não tem o

nosso apoio e eu entendo que ela não será aprovada, que se faça outra proposta, podemos analisar, mas o peso de ônus não poderecair em cima do povo”, afirmou.

“Entre as empresas, a que mais deve para o INSS, é a JBS Friboi, e sendo a maior devedora da previdência foi a que, por ocasião das eleições de 2014, doou para os partidos políticos R$ 362 milhões, essa conta não pode sobrar para nós, o povo que trabalha pagar, essa conta tem que começar a ser paga de cima pra baixo, empresários corruptos e políticos também corruptos têm que pagar essa conta em primeiro lugar, só depois, em última análise podemos pensar se caberia ou não alguma coisa para a população

pagar. Por outro lado poderíamos até pensar em pagar mesmo não sendo nosso se nós confiássemos na classe política, mas hoje ela mergulha cada vez mais numa falta de confiança”, disparou. O deputado também criticou a lista fechada: “Eles querem aprovar o sistema eleitoral baseado em listas, ou seja, os primeiros da lista seriam os mais corruptos, porque teriam mais chance de se reeleger e continuariam então com aquilo que é conhecido como

foro privilegiado, imunidade parlamentar, não podemos aceitar isso, quando nós vamos no restaurante nós pedimos a comida e não o garçom que serve o que ele bem entender, na politica é a mesma coisa, nós, o povo, somos os patrões, o garçom é o político”, declarou. Bolsonaro também defendeu a educação e redução da maioridade penal: "Nós estamos formamos nossos filhos piores do que nós, isso tem que mudar, nós temos que valorizar o nosso professor, o professor tem que ser respeitado. Hoje, os pais mandam os filhos

para as escolas muito mais por causa da merenda do que pelo conhecimento, isso tem que mudar. O estatuto da criança e do adolescente tem que ser totalmente reescrito, nós temos que reduzir a maioridade penal, moleque marginal de 16, 17 anos tem que ir pra atrás das grades".

gp1

0 comentários:

Postar um comentário